Return

Materiais Inflamáveis: Culturas de resistência, média alternativos e fanzines (1982- 2021)

Foyer Auditório Biblioteca Municipal Almeida Garrett

Imagem Exposição Materiais Infláveis

Os anos 1980 representam um marco cronológico de grandes mudanças para um Portugal recém-saído do período revolucionário e numa fase de estabilização democrática, de onde se destaca: uma notável expansão do poder de compra e das classes médias; o processo de adesão à Comunidade Económica Europeia, que resultou numa afluência de investimentos comunitários, na quebra de um certo isolamento internacional e no fim das barreiras alfandegárias; um forte processo de secularização, ainda que marcado por acentuadas diferenças regionais; um aumento da escolaridade média e reforço da cultura de massas, entre outros indicadores.

Particularmente importante foi o processo de integração na esfera cultural pública de várias camadas populacionais como as mulheres e os mais jovens. Em relação a estes últimos, podemos mesmo falar de uma busca “pelo direito à diferença”, como bem demandou António Sérgio, marcante radialista português. É precisamente essa busca pela diferença, nos mais jovens (e não só) que vai mudar significativamente o panorama cultural portuense na década de 1980.

A exposição assenta na visibilização de um conjunto de movimentos e de experimentações artísticas e independentes na cidade do Porto ao longo da década de 1980 e cujos “ecos” se estendem até à atualidade. Fanzines, réplicas de fanzines, músicas, cartazes, flyers e materiais videográficos produzidos neste período constituem exemplos de um ethos do-it-yourself.