Avançar

1
RESERVATÓRIO
2
CASA MARTA ORTIGÃO SAMPAIO
3
CASA TAIT
4
EXTENSÃO DO ROMANTISMO
5
ENTRE QUINTAS
6
BANCO DE MATERIAIS
7
RIO DA VILA
8
CASA DOS 24
9
ARQUEOSSÍTIO
10
CASA GUERRA JUNQUEIRO
11
EXTENSÃO DO DOURO
12
CASA DO INFANTE
13
BIBLIOTECA SONORA
14
ATELIÊ ANTÓNIO CARNEIRO
15
EXTENSÃO DA INDÚSTRIA
16
EXTENSÃO MATADOURO
17
BONJÓIA EXTENSÃO DA NATUREZA

CASA MARTA ORTIGÃO SAMPAIO

1
RESERVATÓRIO
2
CASA MARTA ORTIGÃO SAMPAIO
3
CASA TAIT
4
EXTENSÃO DO ROMANTISMO
5
ENTRE QUINTAS
6
BANCO DE MATERIAIS
7
RIO DA VILA
8
CASA DOS 24
9
ARQUEOSSÍTIO
10
CASA GUERRA JUNQUEIRO
11
EXTENSÃO DO DOURO
12
CASA DO INFANTE
13
BIBLIOTECA SONORA
14
ATELIÊ ANTÓNIO CARNEIRO
15
EXTENSÃO DA INDÚSTRIA
16
EXTENSÃO MATADOURO
17
BONJÓIA EXTENSÃO DA NATUREZA

CASA MARTA ORTIGÃO SAMPAIO

Instalada num edifício modernista de 1958, desenhado por José Carlos Loureiro, a Casa Marta Ortigão Sampaio resultou de uma doação à Câmara Municipal do Porto em 1978, e abriu ao público em 1996.

Marta Ortigão Sampaio (1897-1978), filha de Estela de Souza e Vasco Ortigão Sampaio, sobrinho de Ramalho Ortigão e célebre colecionador e mecenas portuense, era sobrinha materna das pintoras Aurélia de Souza e Sofia de Souza e nasceu num contexto privilegiado, convivendo desde cedo com a prática artística.

 

A estação 2 do Museu da Cidade, evoca o ambiente que rodeou a vida desta família da burguesia portuense, apresentando coleções de pintura, jóias, uma biblioteca especializada em livros de arte, peças de mobiliário de influência francesa, inglesa e indo-portuguesa e outras peças de arte decorativas.

O espólio é constituído pela transferência do recheio, ou parte deste, da moradia que o casal ocupava em S. Mamede de Infesta – Matosinhos. Curioso é o facto da casa na Rua de Nossa Senhora de Fátima nunca ter sido efetivamente habitada, o que indicia a secreta intenção desta construção, destinada a ser legada à cidade.

 

Inscreve-se no eixo sonoro, que na Casa potencia outras leituras e narrativas em diálogo com a coleção, e no eixo romantismo, pela persistência do espírito romântico no gosto burguês da primeira metade do século XX.

Na Casa Marta Ortigão Sampaio encontram-se obras do naturalismo português de Silva Porto, Carlos Reis, Malhoa, Roque Gameiro, entre outros, e um importante acervo de pinturas, desenhos e fotografias de Aurélia de Souza, uma das mais singulares artistas portuguesas do seu tempo.

 

A importante coleção de jóias, uma das maiores de uso pessoal, apresenta perto de três centenas de peças de finais do século XVII ao século XX.

 

Ladeando a casa, no jardim encontram-se pedras trabalhadas que pertenceram ao convento de S. Bento de Avé-Maria, um pequeno lago e flora de interesse, tais como espécies de magnólias [magnolia grandiflora], um Cedro do Atlas [Cedrus atlantica], identificado-o com o eixo natureza.

 

Imagens—Atlas: António Alves (MdC).

Endereço

Rua de Nossa Senhora de Fátima, 291 / 299
4050-428 Porto
GPS: 41.159457, -8.625454
Localização

Autocarro

203, 302, 203, 302, 508

Metro

Carolina Michaëlis

Estacionamento

Casa da Música

Jardins

MARTA ORTIGÃO SAMPAIO

Eixos

SONORO

NATUREZA

ROMANTISMO