Avançar

1
RESERVATÓRIO
2
CASA MARTA ORTIGÃO SAMPAIO
3
CASA TAIT
4
EXTENSÃO DO ROMANTISMO
5
ENTRE QUINTAS
6
BANCO DE MATERIAIS
7
RIO DA VILA
8
CASA DOS 24
9
ARQUEOSSÍTIO
10
CASA GUERRA JUNQUEIRO
11
EXTENSÃO DO DOURO
12
CASA DO INFANTE
13
BIBLIOTECA SONORA
14
ATELIÊ ANTÓNIO CARNEIRO
15
EXTENSÃO DA INDÚSTRIA
16
EXTENSÃO MATADOURO
17
BONJÓIA EXTENSÃO DA NATUREZA

RESERVATÓRIO

1
RESERVATÓRIO
2
CASA MARTA ORTIGÃO SAMPAIO
3
CASA TAIT
4
EXTENSÃO DO ROMANTISMO
5
ENTRE QUINTAS
6
BANCO DE MATERIAIS
7
RIO DA VILA
8
CASA DOS 24
9
ARQUEOSSÍTIO
10
CASA GUERRA JUNQUEIRO
11
EXTENSÃO DO DOURO
12
CASA DO INFANTE
13
BIBLIOTECA SONORA
14
ATELIÊ ANTÓNIO CARNEIRO
15
EXTENSÃO DA INDÚSTRIA
16
EXTENSÃO MATADOURO
17
BONJÓIA EXTENSÃO DA NATUREZA

RESERVATÓRIO

Localizado no Parque da Pasteleira, no espaço surpreendente e magnífico de um antigo depósito de água, o Reservatório fio reabilitado em 2017 pelos arquitetos Alexandre Alves Costa e Sérgio Fernandez e tem projeto museológico de João Mendes Ribeiro.

Abre para contar  história material da cidade, das suas fundações, das suas muralhas e praças, do rio que a atravessa, das suas ruas e dos seus monumentos, da evolução da sua malha urbana e das suas sucessivas existências, pensadas e erguidas pelas mãos dos desenhadores e dos construtores.

A estação 1 revela a história da lacuna, em vez da história do preenchimento. Fragmentos e mais fragmentos são convocados para narrar momentos que indiciam existências deste e de outros tempos. Materiais de distintas épocas convivem com dispositivos audiovisuais e diferentes tipologias de imagem, para nos dar a conhecer como PortuCale, a cidade que deu nome a Portugal, se fez Porto.
Mais do que contar a história dos usos e dos costumes, o Reservatório é um lugar para abrir intervalos de tempo, convocar e intercetar a história mineral e vegetal. E deixando de ser um depósito de água, a sua vocação também não é a de ser um probo depósito de objetos, mas antes de trazer à tona a sua dimensão porosa, de infiltração e de fluxo constantes.

O Reservatório foi concebido como espaço de reserva e depósito, de investigação no campo da arqueologia da cidade, de apresentação e de mediação. Aqui, o público terá oportunidade de contactar, no sentido de tocar, com os vestígios e materialidades que testemunham a invenção da cidade, de ser iniciado in loco pelos especialistas aos segredos do passado, de ver com as mãos e com a imaginação o engenho e os desígnios dos nossos antepassados.

No Reservatório começa o eixo material do Museu da Cidade, por ser o primeiro gesto de mostrar o que se descobre nas escavações, os objetos ou pedaços de objetos que se guardam, cuidam e permanecem. Há um ciclo que também se inicia, um movimento que vai desde a terra, sondando essas camadas do solo, para regressar à terra, na última estação do mapa do MdC, Bonjóia – Extensão da Natureza, que será uma sementeira.

 

O Reservatório terá projeto sonoro de João Pais Filipe.

Imagens—Atlas: António Alves (MdC) e Miguel Nogueira (CMP), planta e vista de João Mendes Ribeiro.

Endereço

Parque da Pasteleira (Entrada Poente)
Rua de Gomes Eanes de Azurara, s/n
4150-362 Porto
GPS: 41.151579, -8.662588
Localização

Autocarro

200, 204, 207, 504

Estacionamento

Lugares de estacionamento gratuito.

Jardins

PARQUE URBANO DA PASTELEIRA

Eixos

SONORO

NATUREZA

MATERIAL

LÍQUIDO