Voltar

Por trás das árvores há um outro mundo

10
CASA GUERRA JUNQUEIRO

© Antonio Alves

Lá onde não existe nenhuma clareira

nascentes oferendas

os infindáveis bordados da teia da aranha invisível

tecem árvores com os meus pensamentos

não posso fazer nada

[Henri Michaux]

 

Por Trás das árvores há um outro mundo, da autoria de Ilda David’ é a primeira de um conjunto de seis exposições integradas no programa do Gabinete do Desenho.

Ilda David’ (Benavente, 1955) vem construindo há cerca de quatro décadas um universo artístico, em que se cruzam de forma particularmente profícua e estimulante, a imagem e a palavra, a literatura e a pintura. A exposição reúne um amplo conjunto de desenhos (e algumas gravuras), entre obras recentes e mais recuadas no tempo, cujo denominador comum é a tematização da irredutível diversidade da linguagem da natureza.

Por aqui passam os pequenos desenhos de grutas de Goethe, registados durante as suas viagens alpinas; as imagens de Carlos Relvas, encenando-se em lugares altos; as visões de Victor Hugo no exílio; as pequenas figuras ibéricas ou cartaginesas. E há ainda retratos de Monet, Van Gogh e Beuys.

A história esotérica das palavras e das imagens não tem época, revela-se nos encontros, nas pausas, nos tempos mortos, nos intervalos. Antes de existirem como imagens as imagens de Ilda David’ formam-se a partir desses laços invisíveis, de cruzamentos, de pontos de que só ela conhece as conexões. É esse lugar, a função assignada ao desenho na economia do seu trabalho, no universo de referências que vem contruindo há mais de três décadas.

O desenho, aqui, age como uma voz inaudível, que guia mais do que aponta, sempre em sub-registo, aquém da visibilidade, para lá da história. O desenho está em vários planos e não está em nenhum em particular, está em vários tempos, define um espaço de profundidade, um mergulho no abismo, na história secreta, obscura, dos encontros. É um rizoma, só discernível, só legível se o concebermos como narrativa que surge fora do contexto oficial, formal, da história.

 

Fazer

Escuta