Voltar

Biblioteca Popular de Pedro Ivo

Biblioteca Popular de Pedro Ivo

Retrato de Pedro Ivo com mãe, fotografia em filme. Cedência dos herdeiros.

Projetada e executada pelo arquiteto Bernardino Basto Fabião (1912-1998), ao serviço da Câmara Municipal do Porto, a Biblioteca Popular de Pedro Ivo foi inaugurada em janeiro de 1948, em pleno Jardim da Praça Marquês do Pombal, e esteve primeiramente destinada a servir camadas menos literatas da população, e mais tarde, transformada em biblioteca infantojuvenil. Este edifício, resgatado para uso público e cultural pelo município desde abril deste ano, prossegue o seu trilho de regresso à génese da sua construção, e de resposta aos apelos da comunidade para recuperar aquele espaço público: uma pequena biblioteca que se abre a uma praça e a um jardim.

Depois de duas incursões trimestrais do projeto Rádio Estação – Rádio Nómada neste espaço (num gesto de evocação da dimensão sonora da transmissão oral e de escuta; como reforço das dinâmicas de socialização e dos laços entre comunidades e gerações que a localização privilegiada da biblioteca propicia), o Museu da Cidade homenageia agora Pedro Ivo no âmbito da Feira do Livro de uma forma duplamente terna: tornando-a temporariamente uma verdadeira biblioteca – devolvendo, à letra , o espaço ao seu desígnio primeiro, e onde se pode consultar grande parte dos livros que estavam disponíveis ao leitor nos seus dois anteriores períodos. E mostrando, também, algum do trabalho de pesquisa documental, fotográfico e literário que o Museu da Cidade tem vindo a realizar juntamente com os herdeiros do escritor que, na sua generosidade, têm vindo a lançar luz sobre este homem e sobre este artista, e revelando, entre a intimidade e o trabalho intelectual, a rede que une Pedro Ivo aos seus contemporâneos e à cidade do Porto, e até, imagine-se, à figura central da Feira do Livro deste ano: Júlio Dinis.