Voltar

RÁDIO ESTAÇÃO NA BIBLIOTECA POPULAR DE PEDRO IVO

Praça do Marquês

© Bruno Rocha

A Rádio Estação, ponto de irradiação e de encontro criado no contexto da Feira do Livro 2020 e em 2021 ocupando morada fixa no sítio invisível deste site, mantém uma vocação nómada.

No romper da primavera e em cuidadoso desconfinamento após um longo período afetado pela pandemia, instala-se agora, temporariamente, na Biblioteca Popular de Pedro Ivo, conhecida como Biblioteca do Marquês, inaugurando a ativação de um programa piloto que testará diferentes usos que esta biblioteca pode ter, sempre em ligação com a memória do espaço, para depois a devolver à cidade.

Durante um período de um mês e meio, a Rádio emitirá também em FM e constituir-se-á como uma pequena biblioteca sonora ao ar livre, ecoando o luminoso mote do arquiteto Bernardino Basto Fabião, autor do projeto em 1945.

 

A Rádio Estação—nómada ganha antena, a voz de locução e o trabalho de terreno através da sua instalação provisória numa movimentada praça.

Neste contexto serão lançadas novas RUBRICAS:

 

CONFABULAÇÕES, com curadoria de Marta Bernardes, responsável pelo projeto educativo do MdC

—conta-contos, uma fábula para filhos e outra para pais

Estreia a 5 de abril — Diariamente 21H + 14H (repetição)

Um programa onde a composição sonora e a palavra encantatória se misturam, recuperando o sentido literário da fábula, do texto mágico e da narração. Fábulas que unem gerações e geografias, os mais arcaicos modos de entender o mundo aos modos tantos da infância, modos que dotam de sentido fantástico o pensamento filosófico mais erudito, tanto como as formas de contar mais populares. Em cada noite um antes-de-dormir para os filhos e para os pais. Uma viagem pelos reinos imensos e irmãos de Ouvir e Confabular.

 

INVENTÁRIO, da autoria de Luís Aguiar Branco

—inventário oral das ruas e dos edifícios da cidade

Domingos 16H + Quartas 10H (repetição)

Deambulações pela alma da cidade com primeiras paragem nas praças da cidade, tradicionais lugares de encontro, que aos poucos de vão preenchendo e que dedicará à Praça do Marquês episódios especiais. Inventário configura um Programa Operativo.

 

TRABALHAR CANSA, com curadoria do sociólogo Bruno Monteiro

—remessas de histórias do contexto industrial do Porto

Estreia a 1 de maio — Diariamente 12H + 22H (repetição)

 

ECOS DA BIBLIOTECA SONORA

—leituras orquestradas em polifonia de vozes pelos voluntários da Biblioteca Sonora

Sábado 1, 8, 15 MAIO 17H

Uma rubrica de rádio que acontece enquanto performance nos jardins da Praça do Marquês. Depois da Feira do Livro do Porto, este projeto volta a tornar visível em espaço público o maravilhoso trabalho realizado por um conjunto de pessoas cuja missão é tornar a leitura possível para aqueles dentre nós que não têm ou perderam a faculdade da visão.

 

Será também a oportunidade para a equipa do MdC lançar um amplo inquérito em forma de PLATAFORMAS PÚBLICAS—AUDITÓRIO, convocando a comunidade artística para uma maratona de depoimentos em torno da vocação do Museu, em sentido amplo, através de um conjunto de questões, tais como: O que pode uma biblioteca, o que pode hoje ser uma biblioteca? Para que nos serve hoje um museu? Que museu para a cidade, que cidade para o museu?